• Home
  • Notícias
  • Artigos
  • Dia Mundial da Energia - 30 anos: passado, presente e futuro da produção de energia elétrica
Dia Mundial da Energia - 30 anos: passado, presente e futuro da produção de energia elétrica
Postado 25/05/2021 13:38:53

Dia Mundial da Energia - 30 anos: passado, presente e futuro da produção de energia elétrica

Por: Miro Andretto Noronha


Você já parou para pensar como seria sua vida sem energia elétrica? Quantas das atividades do seu dia a dia dependem dela?

 

Dominar a energia elétrica foi um dos passos mais importantes que o ser humano alcançou em sua história, trazendo avanços em todas as áreas de nossa vida. Com isso, a humanidade tornou-se completamente dependente da energia elétrica, sendo difícil imaginar a vida sem ela nos dias atuais.

 

Se até há pouco tempo não havia tanta preocupação com o impacto ambiental dos modos de produzir energia, hoje sabemos que se não repensarmos muitas dessas formas, teremos grandes problemas no futuro. Por este motivo, desde 1981 é comemorado, no dia 29 de maio, o Dia Mundial da Energia.

 

 

Dia Mundial da Energia: 30 anos buscando uma energia mais sustentável

 

O Dia Mundial da Energia surgiu por iniciativa da Direção Geral de Energia de Portugal, e a partir disso, vários outros países ao redor do mundo passaram a integrar essa data em seus calendários comemorativos, com o objetivo de incentivar a reflexão e mudanças na sociedade que estimulem a produção sustentável de energia.

 

Hoje, após 30 anos, a tecnologia avançou e constantemente surgem possibilidades de ampliar a produção de energia de forma limpa e responsável. Na sequência, iremos ver algumas curiosidades sobre algumas dessas formas sustentáveis de produzir energia com potencial de crescimento no futuro.

 

 

Como foram utilizadas as primeiras placas fotovoltaicas?

 

O efeito fotovoltaico e a produção de células fotovoltaicas têm um histórico que remonta à primeira metade do século XIX, mas foi somente em 1954 que Russell Shoemaker Ohl desenvolveu e patenteou o que hoje entendemos por painel solar.

 

A primeira utilização de painéis solares aconteceu em 1955, alimentando uma rede telefônica na Geórgia (Estados Unidos). Os painéis utilizados no período ainda possuíam eficiência máxima de converter apenas 1% da energia obtida em eletricidade (hoje, o rendimento é de aproximadamente 20%).

 

Mas o que mais chama atenção é que uma das primeiras utilizações de painéis solares se deu com o satélite artificial Vanguard I, em 1958, que passou 6 anos em operação sendo alimentado por energia solar, e atualmente é o objeto mais antigo lançado no espaço pelo homem ainda em órbita.

 

Inúmeros outros satélites e objetos lançados no espaço dependem exclusivamente dessa tecnologia para funcionar e, se não fosse isso, muitos dos avanços que temos hoje como o sistema de GPS ou a internet móvel não seriam possíveis.

 

 

A energia solar pode ajudar a matar a sede das pessoas em regiões áridas?

 

Na Universidade de Ciência e Tecnologia Rei Abdullah, da Arábia Saudita, foi desenvolvido uma espécie de painel solar fotovoltaico que aproveita o calor do sol para produzir água potável.

 

Este aparelho, que produziu até 1,64 litro de água potável a cada metro quadrado de superfície por hora, consiste em um sistema com canais de destilação de água distribuídos em três camadas, trocando calor e energia entre si, com os painéis solares instalados na parte superior alimentando-os.

 

Considerando o fato que a eficiência máxima de painéis solares encontrados no mercado gira em torno de 20% do potencial solar, os 80% que seriam perdidos no ambiente em forma de calor acabam sendo utilizados nesse processo de dessalinização, ainda com a vantagem de não haver perdas na saída de energia dos painéis.

 

 

O que é Hélio³ e por que o consideram o combustível do futuro

 

Assim como os painéis solares tiveram destaque a partir da exploração espacial, atualmente temos a possibilidade de ver novas transformações na produção de energia a partir do espaço. Trata-se da exploração do Hélio-3.

 

O Hélio-3 é um isótopo de Hélio com dois prótons e um nêutron em seu núcleo atômico. Por ser um elemento químico não radioativo e possuir um próton a mais, é possível colocá-lo em fusão nuclear. Nossos processos atuais de produção de energia nuclear são baseados na fissão, que quebram átomos maiores.

 

Este elemento foi descoberto em abundância recentemente em explorações na superfície da Lua. Sabe-se que, na Terra, podemos encontrar tal substância em poços subterrâneos de extração de gás natural. Porém, a quantidade na Terra é ínfima perto do que podemos encontrar na Lua.

 

Como se sabe, uma das fontes de energia mais poderosas é a energia nuclear, que embora seja muito produtiva, da forma que utilizamos atualmente gera muitos resíduos radioativos e contaminantes. Dominar formas de utilizar essa energia sem tais problemas ambientais será um grande passo tecnológico.

 

A humanidade tem buscado explorar essas reservas lunares e, até o final desta década, terá desenvolvido tecnologias que possibilitem esse uso. Entretanto, trazer este elemento para a Terra ainda é inviável, mas as possibilidades que se abrem a partir dessa exploração são incontáveis, e prometem um futuro com geração de energia limpa e abundante.


Portal Solar, Uol, USP, Revista Super Interessante.

Assine nossa news para receber notícias e atualizações