• Home
  • Notícias
  • Cidades Inteligentes, Consumo de Energia e as Redes Inteligentes
Cidades Inteligentes, Consumo de Energia e as Redes Inteligentes
Postado 09/03/2020 16:07:10

Cidades Inteligentes, Consumo de Energia e as Redes Inteligentes

Por Miro Andretto Noronha


Cidades Inteligentes

Smart city é um assunto que vem tomando a agenda de discussões sobre desenvolvimento sustentável ao redor do mundo, já há algum tempo.

Segundo a União Europeia, o conceito de cidade inteligente, consiste em sistemas de pessoas interagindo e usando materiais, serviços e energia para impulsionar o desenvolvimento econômico e melhoria da qualidade de vida.

Essas cidades se utilizam de tecnologia para melhorar não só os seus serviços, mas também a experiência de vida de seus cidadãos. Com uma série de dispositivos para monitorar a qualidade e a necessidade de serviços, além de coletar dados importantes para identificar maiores demandas, destinar melhorias e novos investimentos.

Para este ano de 2020, estima-se que a movimentação deste mercado chegue a US$ 408 bilhões.

Demanda de energia

Com o aumento populacional e todas essas mudanças ocorrendo em ritmo acelerado, é necessário energia para movimentar tudo isso, assim a otimização e melhoria das redes de geração e distribuição de energia é algo de grande importância. Com a previsão do aumento do consumo de energia, o modelo de geração centralizado e distribuído por redes de quilômetros de distância entre o ponto gerador e o consumidor, precisa ser revisto e aprimorado.

Redes Inteligentes

Neste contexto entra as smart grids ou em português, redes inteligentes, que através de tecnologia inserida por meio de medidores eletrônicos inteligentes em várias fases da transmissão, entregam dados em tempo real que ajudam a perceber falhas no suprimento, quedas e assim garantir que não haja interrupções no fornecimento. Buscando então fornecer energia de maneira mais eficiente, confiável e sem desperdícios.

Além disso o conceito abrange o crescimento da diversidade de geração de energia em pequenas unidades geradoras ou em menor escala como energia solar residencial ou pequenas usinas, que sejam entregues a rede de distribuição, possibilitando a diminuição das perdas que ocorrem no caminho entre os fornecedores e consumidores.

O instituto norte-americano de tecnologia e padrões – NIST, define smart grid como uma rede moderna que permite fluxo bidirecional de energia, usando comunicação nos dois sentidos e técnicas de controle, que possibilitará novas funcionalidades e novas aplicações.

Uma série de produtos e equipamentos são usados para medir e monitorar em tempo real o desempenho de uma rede de transmissão inteligente, continue acompanhando nossas publicações e entenda mais desse sistema e da transformação que vem com ele.

 


Referências:

Portal da FGV de Notícias | Escola Politécnica da UFRJ


Você pode se interessar também por:

Inteligência artificial, recursos limitados e desenvolvimento sustentável

Assine nossa news para receber notícias e atualizações