Romagnole recebe Certificado de Energia Renovável 2020
Postado 04/08/2020 13:01:55

Romagnole recebe Certificado de Energia Renovável 2020

Por Miro Andretto Noronha


A Romagnole recebe o Certificado de Energia Renovável 2020. O certificado é entregue com base em relatório levantado sobre emissões evitadas de Gases de Efeito Estufa, decorrentes do uso de energia produzida por fontes renováveis.

O relatório é realizado pela Sinerconsult Consultoria Treinamentos e Participação Ltda. E pela COMERC Energia. Ele apresenta os resultados das Emissões de Gases Efeito Estufa evitadas no consumo de energia elétrica de fontes não poluentes e renováveis.

O relatório atribui a Romagnole no período de janeiro a dezembro de 2019, uma redução equivalente a 886,86 tCO2, o que vale equivalente a 6.208 árvores em 30 anos em um projeto de reflorestamento.

Veja certificado

Metodologia do cálculo

Para o cálculo das Emissões GEE Evitadas são utilizados os procedimentos do GHC Protocol Corporate Standard da The Greenhouse Gas Protocol Initiative, protocolo utilizado desde 2001 e aceitos por empresas, ONG´s e governos do mundo todo. A metodologia de cálculo foi desenvolvida pelo WRI – World Resources Institute.

Também são utilizados os dados oficiais da Autoridade Nacional Designada – AND do governo federal pela Comissão Interministerial de Mudança Global do Clima – CIMGC, há uma aferição também dos dados com base nas Regras e Procedimentos de Comercialização da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE que constata a proveniência da energia vinda de fonte incentivada de emissão nula, dentro dos termos definidos pelo setor elétrico brasileiro.


 Histórico dos acordos de redução mundial

Um dos primeiros esforços organizados e cooperados entre as nações se deu com o Rio-92, onde a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento no Rio de Janeiro em 1992, foi o marco da aceitação da humanidade sobre o impacto ambiental mundial, onde buscava conciliar o desenvolvimento socioeconômico com preservação dos recursos naturais.

Em 1997, institui-se o Protocolo de Quioto, que entra em vigor em 2005, neste acordo há um compromisso de redução de 5% de emissão de gases em relação aos níveis encontrados na década de 1990. O Protocolo contemplou três mecanismos: Comércio de Emissões, Implementação Conjunta e Mecanismos de Desenvolvimento Limpo (MDL).

Mais recentemente, em Paris, foi adotado um novo acordo com objetivo de fortalecer a resposta global a mudança climática, sendo aprovado por 195 países para reduzir as emissões do gases de efeito estufa, com o compromisso de frear o aumento de temperatura média global em menos de 2°C acima dos níveis pré-industriais.

Brasil

O Brasil em 12 de setembro de 2016, concluiu o processo de ratificação do Acordo de Paris, oficializando as metas em compromissos oficiais assumidos. Nas contribuições brasileiras adotadas estão a redução das emissões em 37% abaixo dos níveis  de 2005 para 2025 e uma contribuição subsequente de redução em 43% abaixo dos níveis de 2005, em 2030.

Para o atingimento, o Brasil se comprometeu a aumentar a participação de bioenergia sustentável na sua matriz energética para 18% até 2030, restaurar e reflorestar 12 milhões de hectares de florestas, além de alcançar participação estimada de 45% de energias renováveis em sua matriz energética até 2030.

Fonte: Ministério do Meio Ambiente – Governo Brasileiro


Leia também:

Romagnole Transformadores obtém certificações ISO 14001 e 45001

Assine nossa news para receber notícias e atualizações