Soluções para Subestações com Transformadores a Seco
Postado 03/03/2020 10:40:47

Soluções para Subestações com Transformadores a Seco

Alternativa moderna, eficiente e segura para instalações elétricas

Os transformadores a seco são recomendados para subestações elétricas em ambientes industriais, centros comerciais, aeroportos, instituições de ensino, hospitais e em empreendimentos com espaço físico reduzido, nos quais se exija segurança, desempenho e confiabilidade.

Ecologicamente correto, o transformador nesta configuração não utiliza óleo como componente de isolamento elétrico e dissipação de calor. Essas funções são exercidas por uma proteção de resina epóxi que é altamente resistente ao fogo, evitando assim os riscos de explosões e propagação das chamas em caso de incêndio. Essa característica permite que os transformadores a seco operem próximos à locais com grande circulação de pessoas sem oferecer riscos à segurança do público.

No entanto, é importante observar se o ambiente onde o transformador a seco é instalado está sujeito à incidência de partículas como poeira metálica ou de carvão suspensas no ar. Impurezas dessa natureza depositam-se sobre os dispositivos de isolação, provocando descargas e arcos elétricos que danificam seriamente o equipamento. Caso o acúmulo desses elementos ocorra eles devem ser extraídos com limpezas periódicas, cuja regularidade dependerá do volume e da frequência em que essas partículas se façam presentes no local. Para isso deve-se ficar atento aos sinais de sobreaquecimento e de caminhos de fuga da eletricidade nas superfícies isolantes que se manifestam por carbonizações.

 

Características

As bobinas de alta e baixa tensão dos transformadores a seco são confeccionadas em alumínio, o que minimiza os esforços mecânicos do equipamento quando submetido a situações de sobrecarga ou curto-circuito. Elas são encapsuladas com resina epóxi sob alto vácuo, o que anula a presença de microbolhas de ar na estrutura de isolamento. Sem este recurso essas microbolhas criariam um efeito capacitivo na isolação, o que produziria descargas elétricas parciais que comprometeriam o funcionamento e a vida útil do transformador.

A composição do núcleo neste modelo de transformador é outro ponto que merece destaque. Ele é confeccionado com chapas de aço silício de grãos orientados, garantindo assim menores perdas por correntes parasitas e baixo nível de ruído. A sua montagem final é realizada em ambiente controlado, evitando contaminações.

Esse modelo de transformador segue projetos distintos para cargas contínuas, cargas não lineares e cargas intermitentes. Por esse motivo, antes de efetuar compra é fundamental explanar ao fabricante qual será o tipo de aplicação do equipamento.

 

Instalação

Como podem operar próximos aos centros de carga, os transformadores proporcionam redução nos gastos com cabeamentos e por serem mais compactos exigem menores investimentos de instalação, já que dispensam a necessidade de obras civis especiais como paredes corta-fogo ou bacias de contenção de óleo. Ainda que não haja possibilidade de instalação do equipamento em local abrigado, é possível sua utilização graças aos invólucros de proteção fornecidos pelo fabricante com os graus de proteção IP previstos nas normas nacionais e internacionais (tabela anexo). No caso das instalações externas “ao tempo”, o invólucro recomendado deverá apresentar o grau mínimo de proteção IP-54. No entanto, é importante que os pontos onde os equipamentos serão instalados sejam preparados adequadamente. Para isso o fabricante deve fornecer o desenho do gabinete devidamente dimensionado, indicando os locais de acesso dos cabos de entrada e saída.

 

Acessórios

- Caixa de lacre para BT

- Apoio para macaco

- Ventilação forçada

- Gabinete Grau de Proteção IP10 a IP54

- Flanges na MT e BT (em transformadores com gabinete).

- Transformador de corrente no neutro

- Amortecedores de vibração

- Buchas plug-in

 

Modelos construtivos*:

Potências de 45kVA a 3.000kVA

AT: Classe 15kV, 25kV e 36kV

BT: tensões 220/127 V, 380/220 V ou 440/254 V

NBI: 95kV, 125kV e 150kV

* Outras características sob consulta.

 

O arranjo dos componentes e dimensional destes transformadores seguem a padronização da NBR-5356 e ABNT 10295 em sua versão vigente, aliado às especificações/folhas de dados dos clientes para as informações que não constam nas normas.


Autor:

Johnny Guimarães

Gestor de Produtos


Você pode se interessar também por:

Catálogo Técnico Transformador Seco

Assine nossa news para receber notícias e atualizações